Poucos são os cães que reagem bem ao barulho de fogos de artifício. Em época de Natal e ano novo, eles acabam sofrendo mais pela alta frequência dos barulhos. O que muitos não sabem é que os próprios donos ajudam a construir esse medo, geralmente quando o cachorro ainda é filhote. Ao reagir com latidos ao som, os donos tem o costume de oferecer colo ou conforto ao animal, o que em seu cérebro é registrado como uma “recompensa ao medo”, estimulando ele a sempre reagir assim. O erro é justificável, mas prejudicial. Quando o cão já desenvolveu o medo, o que o dono pode fazer é amenizar o estresse. Confira algumas dicas:

Não deixe o cão sozinho: Ele se sentirá muito mais seguro e confortável tendo a presença de seus donos, mesmo que não estejam no mesmo cômodo que ele.

Não o deixe perto de aglomerações: Caso esteja dando uma festa em casa, procure deixar seu cão perto da bagunça das pessoas. Procure deixa-lo em um ambiente fechado e com pouca iluminação. A combinação de pessoas juntas falando ao som de música alta e fogos é uma receita para o estresse dele.

Não use algodão ou floral: Algodão nos ouvidos do cão é apenas um mito. Ele não servirá para abafar os sons e a presença de um objeto diferente no corpo do animal aumentará o desconforto. O uso de florais não é recomendado por ser apenas paliativo e o uso de uma dosagem mal feita pode fazer mal a seu cachorro.

Método da faixa: Está sendo recomendado o uso de uma faixa enrolada em pontos estratégicos no corpo do cão a fim de melhorar a circulação sanguínea, aliviando a tensão. Caso seu animal tenha um medo muito avançado, não é uma solução. Para aprender mais sobre a técnica, assista ao vídeo de Alexandre Rossi, o Dr. Pet, ensinando a usar o método: https://www.youtube.com/watch?v=rjaYqzwN48o

Pin It on Pinterest