A mágica do enriquecimento ambiental

A mágica do enriquecimento ambiental

Paulo Pinto, adestrador e franqueado da Cão Cidadão

O dia foi corrido! Acordamos cedo, fomos trabalhar, participamos de reuniões, almoçamos, fomos para a academia e, para terminar bem o dia, ainda participamos de um happy hour com os amigos, afinal, também precisamos relaxar e nos divertir. 

Em meio a tantas tarefas, você já se perguntou o que o cãozinho está fazendo? Bom, com certeza isso não é problema, pois o pet tem muitos brinquedos. Será?

Os passatempos do dia a dia podem não ser atraentes o suficiente para despertar o interesse do nosso peludo durante um dia inteiro. Mas existe um jeito de mudar a situação: “enriquecimento ambiental”.

Essa palavrinha mágica significa criar novos desafios físicos e mentais para o nosso amigão, assim ele se ocupará durante o dia e ficará muito mais feliz na nossa ausência.

Mostre ao animal

Alguns brinquedos são bastante interativos, mas é preciso ensinar o pet a se divertir com ele. Estimule a curiosidade e a vontade dele em fazer tais atividades, mas sempre respeitando suas limitações.

É interessante que no começo os desafios sejam fáceis, de forma a estimulá-lo.

No mercado pet existem muitos tipos de brinquedos interativos. Normalmente, eles vêm com um espaço para o tutor colocar ração ou petiscos. Deixe alguns espalhados e escondidos pela casa.  O seu pet os procurará farejando e depois terá o trabalho de tirar a recompensa de dentro deles.

Outra alternativa é pendurarmos esses brinquedos para que, com o vento, se mexam e estimulem o amigo a brincar. 

Se você gosta de trabalhos manuais poderá criar os próprios brinquedos tornando o desafio mais interessante ainda.

Vamos fazer?

1.     Pegue uma garrafa PET vazia e remova a tampa e os rótulos.

2.     Faça furos na garrafa com uma tesoura, de forma que os petiscos passem com certo grau de dificuldade (o desafio é tirá-los de lá).

3.     Coloque petiscos dentro e chame o amigo para brincar.

No começo, role a garrafa suavemente de forma a não assustar e a mostrar que cai biscoito dali de dentro. Depois, o peludo vai entender como funciona e passará um bom tempo tentando alcançar as tão desejadas guloseimas!

Simples, né? Então, nada de deixar o amigo entediado!

Cães e gatos precisam de protetor solar?

Cães e gatos precisam de protetor solar?

O fim do ano se aproxima e com ele, as altas temperaturas. Já sabemos que devemos sempre usar e reaplicar o protetor solar, mas você sabia que seu Pet pode precisar também? Poucos sabem, mas cães e gatos de pelagem branca, com poucos pelos na ponta das orelhas, no focinho e no rabo ou com focinho rosado precisam passar protetor solar diariamente antes de se expor ao sol.

O câncer de pele pode atingir os animais e, em gatos, é ainda mais agressivo. Portanto, caso seu cão ou gato tenha o nariz e o dorso do focinho rosado e/ou áreas do corpo expostas sem pelo, aplique protetor solar durante o dia. Existem protetores específicos para Pets no mercado. Recomenda-se também que só se passeie com o animal em horários onde o sol está baixo, para diminuir a exposição. Seu pet agradece.

Frutas para seu cão – Sinal verde / sinal vermelho

Frutas para seu cão – Sinal verde / sinal vermelho

Para quem tem cachorros em casa, é comum comer algo tendo olhos atentos te observando, mesmo que discretamente. Em geral, os donos sabem quais alimentos fazem mal à saúde do cão, mas há uma eterna dúvida em relação às frutas. Você pode dar frutas a ele, mas não são todas. Trouxemos uma lista do que pode e o que não pode. Caso seu cão tenha algum problema de saúde, é recomendado levar a um veterinário antes.

Sinal Verde

Banana: Rica em potássio, vitaminas A e C e fibras. Sirva sempre sem a casca e em pequenas quantidades.

Maçã: Não ofereça o talo ou as sementes. Fora isso, sirva à vontade.

Pera: Rica em complexo B e vitaminas A e C. Sirva sem o talo ou sementes.

Manga: Rica em fibras alimentares e vitamina C. Cuidado com o caroço, pois ele pode se engasgar.

Goiaba: Cheia de nutrientes, pode ser servida com casca, pois ajuda no bom funcionamento dos intestinos.

Outras frutas: Morango, kiwi, caqui e caju.

Sinal Vermelho

Laranja: Por ter um teor ácido muito elevado, pode ser prejudicial em caso de gastrite. Caso seja constatada por um veterinário a ausência de gastrite, pode ser oferecida em poucas quantidades e sem a casca.

Abacaxi: Também não recomendado devido à acidez.

Uva: Estudiosos afirmam que a uva pode causar lesões renais graves aos cães.

Abacate: Possui uma substância tóxica para os cães, chamada Persina. Também pode causar problemas no sistema gastrintestinal do cão.

Carambola: Possui uma toxina natural que pode não ser filtrada pelo rim do cão

Pin It on Pinterest